Eu trago amor no bojo;
Tenho planta e raiz
Farei de um a tudo;
Serás feliz

Terás horta e varanda,
Carinho e fartura
Não faltará na vida
beleza e formosura

Minha senhora, vem,
Vamo sair dessa birosca já
Apure madame que eu já tanto esperei
Vambora, que passa da hora;
Já chega a demora que eu levei
Então, vem, suba em meu cavalo baio
Serás rainha em meu reino encantado

Senhora,
Vambora
É o fim
Da longa espera
Eu vim
Queimando a braquiara
No rastro do meuconto de fadas


Trago trigo sem joio,
Vinho de jenipapo,
Quitute e badulaque,
E muito amor no regaço

Minha senhora, vem,
Vamo sair dessa birosca já
Apure madame que eu já tanto esperei
Vambora, que passa da hora;
Já chega a demora que eu levei
Então, vem, suba em meu cavalo baio
Serás rainha em meu reino encantado

Meu bem,
Não pense
Aceita, senão eu durmo no seu quintal
E ao acordares de manhã
Verás um animal
"Tão sozinho, coitadinho...Ai!que dó!"